16 de jun de 2010

A África e os Beatles

Por Joilma Lima , Mariana Castro e Erika Candido





O ano de 1966, a imprensa americana acabara de descontextualizar a frase de John em que ele dizia que os Beatles eram mais populares que Jesus. O boicote dos conservadores à música dos FAB estava em pleno vapor nos Estados Unidos e em algumas cidades européias.
De forte influencia colonizadora Inglesa e da Igreja Católica, e passando por violenta ditadura militar e o Apartheid, a África do Sul, não ficou de fora, No dia 8 de agosto, o país de forte influência da pátria mãe dos Beatles, baniu a banda de todas as suas rádios.
A South African Broadcasting Corporation é a estatal que, desde aquele tempo, controla todas as transmissões de rádio no país, com mais de 18 estações. Piet Myer, o responsável pela decisão. Segundo ele, a arrogância dos Beatles havia ultrapassado o último limite da decência. O boicote se estendia para todo o trabalho da banda e também às regravações por outros artistas também.
Reportagem do dia 9 de agosto de 1966, publicada jornal Lodi-News, da Califórnia EUA. Interessante ver que a SABC declarou que o veto ia permanecer até que eles tivessem acesso completo à declaração publicada de John, Ou seja, eles nem tinham 100% de certeza do que estava acontecendo!



Nenhum comentário:

Postar um comentário